BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO FORMA DE DESENVOLVER O PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Autores

  • EMERA MARIA PINTO DE MORAES ALMEIDA Secretaria Municipal de Cuiabá

Palavras-chave:

Educação Infantil. Brincadeiras. Ensino aprendizagem.

Resumo

O processo de ensino aprendizagem é tema de preocupação constante para a sociedade, visto que educação é direito constitucional; portanto há busca frequente por metodologias e técnicas que auxiliem o processo educacional. Quais os benefícios da inserção da brincadeira para desenvolvimento integral das crianças na Educação Infantil. O objetivo do trabalho é apresentar a relevância da brincadeira para aprendizagem da criança na Educação Infantil. O trabalho foi construído através de pesquisa bibliográfica. A brincadeira auxilia de forma eficiente o processo ensino aprendizagem, tanto que nos documentos oficiais, a brincadeira é eixo estruturante da prática pedagógica para pleno desenvolvimento dos alunos.

Referências

BARBOSA, Raquel (org). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: UNESP, 2004.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular na Educação Infantil. 2017. Disponível

em: http://movimentopelabase.org.br/wp- content/uploads/2019/06/

BNCCEI_interativo_final.pdf. Acesso 23 janeiro 2020.

______. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988.

______.Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Ministério da Educação. Brasília: MEC, SEB, 2009.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

______. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, MEC/SEF, 1998. vol. I, vol. II.

BUCKINGHAM, David. Crescer na era das mídias eletrônicas. São Paulo:Edições Loyola, 2007.

CORRÊA, Bianca Cristina. Organização do Ensino no Brasil: níveis e modalidades na Constituição Federal e na LDB. São Paulo: Xamã, 2002 (Coleção legislação e política educacional).

FROEBEL, F. The education of man. In: HARRIS, W.T.(Ed.). The international series. New York- London: D. Appleton and Company, 1896,1897. Vol 5.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas,2010.

KISHIMOTO, T. M. Jogos, Brinquedos e Brincadeiras na Educação. São Paulo: editora Cortez, 1997.

______, T. M. O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira-Thomson Learning.2002.

KRAMER, S. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões.

In: MACHADO, Maria Lucia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

______, S. Infância: fios e desafios da pesquisa. Campinas: Papirus, 1992.

LIBÂNEO, J C; OLIVEIRA, J F; TOSCHI, M S. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012, p. 470-543.

LUCKESI, C.C.: Ludicidade e atividades Jurídicas; uma abordagem a partir da experiência interna. UFBA, 2005.

MACHADO, Maria Lúcia (Org.). Educação Infantil em tempos da LDB. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, 2002.

MORAN, José Manuel. Mudanças na comunicação pessoal. 1a ed. São Paulo: Paulinas, 1993.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: Fundamentos e Métodos. 6ed. São Paulo: Cortez, 2010.

PIAGET, J. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

PIMENTA, Selma Garrido. Por que o estágio para quem não exerce o magistério: o aprender a profissão. IN: PIMENTA. S. G.; LUCENA, M. S. (Orgs.). Estágio e docência. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012 (Coleção docência em formação. Série

saberes pedagógicos) pp. 99-121.

POSTMAN, Neil. O desaparecimento da Infância. Rio de Janeiro: Graphia, 2011.

SANTOS, S. M. P. dos. O Lúdico na Formação do Educador. Vozes: Petrópolis, 1997.

SILVA, A. G. da. Concepção de lúdico dos professores de Educação Física infantil. Universidade estadual de londrina. Londrina: SC, 2011.

VIGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 1988.

_______, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

_______, L. S. Psicologia Pedagógica (2a. ed.). São Paulo: Martins Fontes. 2004.

Downloads

Publicado

2020-12-14